Black Knight (Cavaleiro Negro) - O Satélite Misterioso



Na órbita de nosso planeta existe um objeto misterioso, chamado de Black Knight, um satélite de aproximadamente 13 mil anos, que orbita a Terra, e sua origem é desconhecida (possivelmente alienígena).

Este Satélite Artificial tem causado grande interesse da mídia desde o final dos anos 50. Primeiro, pensaram se tratar de um satélite espião russo, e assim o Black Knight tomou conta do interesse de milhões de pessoas em todo o mundo.

A Terra gira inconsciente de seu visitante parasitário não autorizado.


Sinais inteligentes vindos do espaço

Nikola Tesla
Em 1889, o grande inventor e responsável por usarmos a corrente alternada, Nikola Tesla, desenvolveu um rádio transmissor de alta voltagem. Tesla reparou que seu radio transmissor estava recebendo sinais elétricos que pareciam ser de origem inteligente e desconhecida, e comunica a imprensa, afirmando que estava recebendo sinais que vinham de Marte, mas logo em seguida voltou atrás, afirmando não saber a origem exata.

Passaram algumas décadas, em 2 de setembro de 1921, foi a vez do inventor do rádio Guglielmo Marconi afirmar em entrevista ao jornal The New York Times que estava recebendo inúmeros sinais artificiais de características inteligentes vindos do espaço.

Várias pessoas continuam captando sinais do espaço, e em 1957 o Dr. Lincoln La Paz da universidade do Novo México, também diz ter interceptado um sinal de origem desconhecida.

Com tanta gente interceptando este sinal, o departamento de defesa americano resolveu investigar e designou o astrônomo Dr. Clyde W.Tombaugh para a missão. Tombaugh foi o astrônomo que descobriu o ex-planeta Plutão, em 1930. Adivinha... o resultado de suas pesquisas nunca foi divulgado pelo Pentágono.

Satélite Sputnik I
Agora um dado muito interessante que deve ser lembado: não havia nenhum, zero satélites no espaço até o momento. O Sputnik 1, o primeiro satélite enviado pelos humanos para o espaço, só seria lançado em 4 de outubro de 1957 e só emitia um simples Beep que qualquer rádio poderia capturar. Em 3 de novembro foi enviado o Sputnik II, levando a cadela Laika ao espaço.

Agora que nossa órbita tem satélites, muitas pessoas sintonizam seus rádios para ouvir o Beep e outros procuram tirar fotos deles, como fez o Dr. Luiz Corrales do ministério de comunicações da Venezuela. Ele estava em Caracas e posicionou sua câmera para tirar uma foto do Sputnik II que passaria sobre a cidade. Ao observar a foto, ele viu que algo estava seguindo a nave, e mais, diferentemente dos Sputnik I e II,  o misterioso satélite orbitava a Terra de leste para o oeste. Os satélites russos e estadunidenses dessa época se deslocavam do oeste para o leste, pois precisavam utilizar a rotação natural da Terra para impulsioná-los em órbita.

Operadores de rádio então, que tentavam ouvir o Beep do Sputnik I começam a receber mensagens do misterioso satélite que está seguindo nosso primitivo satélite. Estes sinais são do tipo LDE (Long Delay Radio ou Ecos de Longo Atraso), ecos das transmissões via rádio que retornam ao próprio transmissor depois de uma determinada transmissão. São considerados LDE´s atrasos com mais de 2,7 segundos. Ou seja, alguém estava retransmitindo as ondas de rádio em diferentes intervalos. Os intervalos podem ser até de dias.

O misterioso satélite Black Knight é detectado

Satélite Black Knight
Tesla capturou o sinal, Marconi e vários outros cientistas também. Foi encomendado um relatório sobre estes sinais para o descobridor do planeta Plutão, Tombaugh. Mas o mais importante ocorreu no ano de 1960 quando o satélite é descoberto pelo sistema de defesa aérea norte americana (North América air Defence system, a antecessora de NORAD).



Algumas características, do objeto que passou a ser chamado Black Knight (Cavaleiro Negro):

  • Foi identificado em órbita polar, algo que nem EUA e URSS poderia fazer.
  • Move-se em uma órbita de leste a oeste, ao contrário de todos os outros satélites da época.
  • Calculado como tendo 15 toneladas, o que seria muito pesado para os foguetes daquela época.
  • Viajava duas vezes mais rápido do que qualquer satélite conhecido.
  • Testemunhas que o avistaram visualmente relataram um objeto piscando em vermelho.


Robert L. Johnson, diretor do Planetário Adler, disse: "O objeto nem mesmo tem a decência de manter um horário regular, como qualquer outro objeto celeste ou feito pelo homem. Não sabemos quando ele aparecerá. Ele aparece algumas noites e outras não."

Até a conceituada revista TIME falou sobre o misterioso satélite na sua edição de 7 de março de 1960:

Três semanas atrás, manchetes anunciaram que os Estados Unidos tinham detectado um misterioso satélite “escuro” trafegando acima em órbita.  Houve uma especulação de que ele poderia ser um satélite de vigilância lançado pelos russos, e isso trouxe alguma ansiedade devido ao fato de que os EUA não sabiam o que estava acontecendo por sobre suas cabeças.  Mas, na semana passada, o Departamento de Defesa orgulhosamente anunciou que o satélite havia sido identificado. Era um objeto espacial abandonado, os restos do Satélite Discoverer da Força Aérea, que tinha saído fora do seu trajeto.  O satélite escuro foi o primeiro objeto a demonstrar a eficácia na nova vigilância dos EUA no espaço.  E as três semanas que demoraram para identificarem o satélite foi prova de que o sistema ainda necessita uma coordenação completa e que alguns problemas ainda devem ser solucionados…
Artigos dos jornais St. Louis Dispatch e The San Francisco Examiner

Então, em 3 de setembro de 1960, ele teria sido fotografado pela Grumman Aircraft Corporation. A equipe de solo da empresa tinha ocasionalmente visto o satélite por duas semanas. Um comitê foi formado para examinar o caso, mas nada mais foi exposto publicamente.

E o astronauta Gordon Cooper, que foi para uma missão de 22 missões ao redor da Terra no ano de 1963 também diz ter visto um objeto com verde brilhante na frete de sua capsula, e que até a estação de rastreamento Muchea, na Austrália, para a qual Cooper reportou o incidente, também foi capaz de captar o objeto no radar, o qual viajava em uma órbita do leste para o oeste.

Para o célebre astrônomo russo Alexander Petrovic Kazantzev, o Black Night não é um satélite, mas uma minúscula nave espacial, sem equipagem, que foi abandonada no cosmo há milhares de anos por uma gigantesca nave-mãe. Por algum tempo, ela prosseguiu na mesma órbita da nave principal. Depois, há uns 5 ou 10 mil anos, a astronave-mãe mudou sua órbita distanciando-se no espaço e o Black Night continuou sozinho. Talvez ele tenha sido também tripulado por extraterrenos, e depois abandonado.

A NASA tirou fotos do Black Knight?

Em 1987 a NASA enviou para o espaço a  missão STS-088 do Ônibus Espacial Endeavour. Ela fotografou um misterioso objeto orbitando a Terra e algumas fotos do objeto estão no site da NASA, classificadas como lixo espacial. Este lixo é enorme e para alguns estas fotos poderiam ser do misterioso satélite Black Knight. Você pode ver as 5 fotos no site da NASA:

Veja no site da NASA STS088-724-65.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-66.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-67.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-68.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-69.JPG
Veja no site da NASA STS088-724-70.JPG

O vídeo abaixo é bem explicativo e usa estas imagens acima para mostrar o Satélite Black Knight:



Montagem feita a partir das fotos disponíveis no site da NASA.
Black Knight ou lixo espacial?


O gráfico de Duncan Lunan


Cientista e astrônomo escocês Duncan Lunan
Os primeiros LDEs foram registrados em 1927 pelo engenheiro civil Jorgen Hal (Oslo, Noruega). Hal percebeu um inesperado eco logo depois de uma de suas transmissões. Outros LDEs foram registrados em 1928 e 1934. É muito difícil detectar LDEs. Em 2010 Rádio amador alemão Pedro Brogl (DK6NP) testemunhou novamente o fenômeno.


Em 1973 o cientista e astrônomo escocês Duncan Lunan revelou ter decodificado uma das transmissões de LDEs de 1927 e 1928 e publicou na revista Spaceflight, da Sociedade Interplanetária Britânica (BIS) os resultados. Duncan traçou uma linha central vertical da seqüência de pulso transmitida com um eixo horizontal de tempo de eco de atraso. O resultado? Um mapa estelar que foca o sistema estelar Epsilon Bostes (como era a 13,000 anos atrás visto da terra).



Gráfico feito por Duncan publicado na revista SpaceFlight

Sistema estelar Epsilon Bostes a 13.000 anos atrás

Mas o gráfico não forma somente um mapa, Lunan foi além, e descobriu que os pontos do seu mapa formavam uma mensagem!

Essa parte me lembra o filme Contato :)

Lunan foi capaz de traduzir em Inglês simples, o significado dessas discrepâncias de atraso de eco, provando talvez que eles são manipulações propositais dirigidas por uma inteligência avançada.

Mensagem original em  Inglês:



  • START HERE.
  • OUR HOME IS EPSILON BOOTIS.
  • WHICH IS A DOUBLE STAR.
  • WE LIVE ON THE 6th PLANET OF 7 - CHECK THAT, 6th OF 7 - COUNTING OUTWARDS FROM THE SUN.
  • WHICH IS THE LARGER OF THE TWO.
  • OUR 6th PLANET HAS ONE MOON.
  • OUR 4th PLANET HAS THREE.
  • OUR FIRST AND THIRD PLANETS EACH HAVE ONE.
  • OUR PROBE IS IN THE ORBIT OF YOUR MOON.
  • THIS UPDATES THE POSITION OF ARCTURUS SHOWN ON OUR MAPS.


Traduzindo para Português:


  • Comece por aqui.
  • Nossa casa é Episilon Bootis.
  • Que é uma estrela dupla.
  • Vivemos no sexto planeta de 7 - Verifique se, 6 de 7 - Contando para fora a partir do sol.
  • Que é o maior dos dois.
  • Nosso sexto planeta tem uma lua.
  • Nosso quarto planeta tem três.
  • Nosso primeiro e terceiro planeta cada um tem uma.
  • Nosso satélite está na órbita de sua Lua terrestre.
  • Isso atualiza a posição dos ARCTURUS mostrados em nossos mapas.

Para Duncan, há 12.600 anos, este satélite artificial está orbitando dentro do nosso sistema solar, e tem armazenado um completo programa informativo para a humanidade. O computador a bordo desse satélite estaria programado de forma a reagir a ondas de rádio, provenientes da Terra, sempre que a sua própria posição em relação à Terra for propícia para uma recepção.

Em 1976 a suposta mensagem foi refutada e Lunan desistiu dela. No entanto, em 1998, ele reinterpretou parte dela, com o apoio da astronomia de posição.



Cadê o satélite Black Knight?

As teorias sobre este misterioso satélite são muitas:

Foi capturado em 1972 em uma missão secreta da NASA e os cientistas que o investigaram morreram. Caso de Carl Sagan (Maldição de Tutancâmon)
Tem uma órbita de 15 a 20 anos e só retornará no ano de 2016.
Nos últimos anos, não conseguimos mais vê-lo, principalmente por ser muito pequeno e se encontrar a tal distância que só pode ser observado em noites claras, e sob condições atmosféricas extremamente favoráveis. Além do mais, sua órbita dista cerca de 50 mil quilômetros da Terra.

Conclusão

O que podemos concluir de tudo isto é que muitos cientistas renomados captaram sinais emitidos do céu que pareciam ser emitidos por alguma inteligência sem que existissem satélites na órbita de nosso planeta e que um misterioso satélite foi avistado e detectado por cientistas americanos, e que as características dele são incompatíveis com a tecnologia disponível na época, sugerindo algo extraterrestre.

E para você, com base em todas estas informações, o que acredita?


Será?

Fonte: Assombrado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário :

  1. É simplesmente um absurdo dizer que Tesla e o picareta do Marconi receberam sinais deste provável satélite alienígena no começo do século 20, no espaço utiliza-se ondas de rádio com comprimento de onda curto ou micro ondas, muito acima da faixa de VHF e na época de Tesla e Marconi ainda não haviam descoberto esta frequencias, utilizavam frequencias de comprimento longo que refletiam nas camadas mais altas da atmosfera e retornavam ao solo, ondas longas não saem para fora do planeta. A primeira transmissão oficial em VHF do mundo com alta potencia foi o discurso de Hitler nos jogos olímpicos de 1936, esta transmissão foi para o espaço sideral. Existem muitas atribuições e descobertas a Tesla a internet a maioria é falsa, foi um grande cientista isto não se pode negar. Quem inventou o rádio foi Nicola Tesla, não foi o PIcareta do Marconi, quem escreveu este artigo deveria se informar melhor sobre o assunto.

    ResponderExcluir

Se você não tiver conta de identificação, para não sair anônimo, não esqueça de colocar o seu nome.

Obrigada por comentar!

Fan Page!

Twitter




Faça Parte!

Arquivos